Carro & Cia

Volkswagen e Ford anunciam parceria global para desenvolvimento de carros

Ilustrativa Pixabay

 A Kombi do futuro poderá ter um toque americano: Ford e Volkswagen irão desenvolver novos carros em conjunto, com foco em veículos comerciais.
O anúncio foi feito nesta terça-feira (19), em um comunicado compartilhado por executivos das duas fabricantes.
As montadoras afirmam que, a princípio, essa aliança estratégica não envolverá aportes financeiros entre as empresas e tampouco trocas de ações.
Os detalhes serão divulgados de acordo com o avanço das negociações, diz o comunicado das empresas.
A potencial cooperação industrial com a Ford é vista como uma oportunidade para melhorar globalmente a competitividade das duas empresas, disse Thomas Sedran, diretor do grupo de estratégia da Volkswagen.
O anúncio ajuda a entender movimentos recentes das duas fabricantes. Em outubro, durante anúncio feito a acionistas, a Ford comunicou que concentraria seus investimentos futuros em utilitários esportivos e picapes, modelos em ascensão globalmente.
As plataformas desses tipos de veículos são as mesmas usadas em automóveis de uso comercial, como furgões de entrega e pequenos caminhões.
Na Volkswagen, protótipos do que seria a nova Kombi têm sido exibidos em salões internacionais, sempre com motorização elétrica e sem uma data precisa de lançamento.
Contudo, a marca alemã precisa ser mais competitiva mundo afora no segmento de veículos voltados para o trabalho. Por isso ainda precisa de motores a diesel, que estão no centro de um dos maiores escândalos atuais do setor automotivo.
A montadora adulterou, por meio de um software instalado em carros do grupo Volkswagen, os dados de emissões de modelos a diesel.
A fraude, descoberta em 2015, ainda tem desdobramentos. O mais recente é a prisão do presidente da Audi, Rupert Stadler, por ocultação de provas. O executivo foi detido nesta segunda (18).
Ford e Volkswagen já formaram uma só empresa no Brasil, a Autolatina. A parceria foi anunciada em 1987 e os primeiros produtos feitos em conjunto chegaram as lojas em 1990.
A Volkswagen tinha o controle acionário. Os produtos deveriam ser complementares, mas disputavam os mesmos segmentos.
A Ford tinha o Verona e a Volks, o Apollo. Eram basicamente o mesmo carro, o que também ocorria com os sedãs médios Versailles e Santana.
Os Volkswagen Logus e Pointer usavam a mesma plataforma do Ford Escort, apesar de terem carrocerias diferentes.
Os últimos carros da Autolatina foram produzidos em 1996. As marcas ainda não anunciaram como se dará a parceria no Brasil, mas os investimentos que têm feito indicam o que pode surgir.
A Volkswagen terá uma nova picape de porte médio-compacto no país, que deve ser lançada em 2020 e consome parte dos R$ 7 bilhões que estão sendo investidos em suas fábricas nacionais.
A Ford não tem nada nesse segmento, mas ofereceu até 2014 uma van de porte grande no país, a Transit.
A produção em conjunto de um furgão para atrair o público que comprava a Kombi -que deixou de ser produzida há quatro anos- é uma das possibilidades para o Brasil. As marcas ainda não confirmaram quais serão os novos produtos.
Hoje, a Volks vive um bom momento no mercado brasileiro, com crescimento de 35% nas vendas entre janeiro e maio. O resultado fez a marca alcançar uma fatia de 14,7% do mercado automotivo no acumulado de 2018. O dado inclui carros de passeio e comerciais leves.
Após alguns anos de perdas de participação, a Ford começou a se recuperar em 2017. Atualmente detém 9,4% dos emplacamentos de veículos no Brasil. Os números são da Fenabrave, entidade que representa as distribuidoras de veículos.

RECEBA O NOSSO BOLETIM EM SEU E-MAIL!

--