Segunda, 29 de Novembro de 2021
22°

Poucas nuvens

Cafelândia - PR

Geral Crônica

Crônica: Vegetais do Samba

Por Rodrigo Alves de Carvalho

22/02/2021 às 07h36
Por: Rodrigo Alves de Carvalho
Compartilhe:
Crônica: Vegetais do Samba

- Seu Arão conheceu dona Almerinda num restaurante vegetariano, ambos muito inteligentes e o povo dizia que era por comerem legumes e saladas. Os dois se casaram e tiveram um lindo filho que segundo o costume das famílias, deveria ser batizado com a junção dos nomes de seus pais. E assim foi ungido pelo padre e depois registrado no cartório da cidade o menino com o nome de Almeirão, que puxou a inteligência dos pais e a paixão pela música de seu tio Jiló que tocava Pistom na bandinha da cidade. Porém, Almeirão gostava mesmo era de samba, aprendera a tocar cavaquinho e violão na infância. Quando estava moço, decidiu formar um grupo de samba e pagode, mas queria os melhores músicos da cidade e região. Demorou algum tempo até que encontrou um percussionista conhecido como Escarola que tocava em barzinhos e festas de casamentos. Logo em seguida chamou um tocador de pandeiro da cidade vizinha conhecido como Beterraba. E vieram também o Chicória no Tantã, o Berinjela no Bumbo e o Abobrinha no Violão, as vezes o Acelga dava uma palinha nos Teclados. E assim foi formada a banda sensação do momento: “Vegetais do Samba”! O grupo fez um enorme sucesso em todo país. Almeirão tocava o Cavaco e fazia vocal como ninguém, além de ser o líder do grupo. Fã-clubes se espalharam por todos os cantos e a onda eram os vegetais. Todos comiam vegetais, nos restaurantes grandes bacias com saladas de todos os tipos e porções de chuchu, rabanete, pepino, mandioca etc. eram servidos aos montes, todos queriam comer vegetais e escutar os Vegetais do Samba. Grandes sucessos alcançaram o topo das paradas como “Subi no pé de repolho para ver meu amor passar” e “Couve-flor para meu bem” entre outros. “... todo dia quando vejo uma alcaparra; fico tenso e o coração dispara; pois me lembro de você toda dengosa; meu amor, minha cenoura saborosa...”. Essa linda melodia foi amplamente cantada por milhares de pessoas no Maracanã num show especial de final de ano que consagrou definitivamente o grupo Vegetais do Samba e fez com que a moda fosse comer verduras e legumes...

- Peraí mãe! Quer dizer que todo mundo comia legumes só por causa da banda? Ah me poupe! Que história mais esquisita!

- Esquisita nada Luís Augusto! Você pediu para contar uma história e eu contei. Agora trate de comer essa salada de legumes!

- Mas eu não gosto de legumes mãe! Arg!

- Trato é trato. Contei uma história e agora você come!

- Mas mãe eu também não gosto de samba!

- Não interessa! Come! 

- Então conta uma história com dupla sertaneja. Aí eu gosto. Conta aquela da dupla Batata e Quiabo que nasceram em Goiás, a terra do Tomate!

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Crônicas
Crônicas
Sobre Rodrigo Alves de Carvalho nasceu em Jacutinga (MG). Jornalista, escritor e poeta possui diversos prêmios literários em vários estados e participação em importantes coletâneas de poesia, contos e crônicas. Em 2018 lançou seu primeiro livro individual intitulado “Contos Colhidos” pela editora Clube de Autores. Desde julho de 2019 vem publicando suas crônicas no Jornal Integração. E-mail: [email protected]
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias