Segunda, 29 de Novembro de 2021
21°

Tempo aberto

Cafelândia - PR

Educação Desenvolvimento

Desenvolvimento emocional:

6 habilidades para estimular nas crianças durante o distanciamento social

25/05/2021 às 10h44
Por: Eliane de Fatima Bruger Racoski
Compartilhe:
Imagem da net
Imagem da net

Além do desenvolvimento cognitivo, um dos papeis dos pais é estimular o desenvolvimento emocional nos filhos. Essa é uma missão difícil, porém extremamente importante, uma vez que a inteligência emocional é vista como um dos aspectos que mais se destacam na personalidade humana.

A habilidade repercute em diversos pontos, desde o bom relacionamento interpessoal até a capacidade de gerir os conflitos internos. Sendo assim, hoje é tida, por exemplo, como uma competência essencial para o sucesso na carreira.

Contudo, mesmo para os adultos, não é fácil progredir emocionalmente. Para a criança, o desafio é ainda maior. Portanto, a família precisa ser um apoio e ajudar os pequenos nesse sentido. Isso pode ser feito mostrando a eles como entender as próprias emoções e a agir e reagir de forma saudável.

Então, que tal aproveitar esse período de distanciamento social e investir mais no desenvolvimento emocional do seu filho? Para te ajudar nessa tarefa, selecionamos 6 habilidades que contribuem para o crescimento emocional das crianças. Mas, nunca esquecendo que além desses, temos muito mais, basta usar a criatividade e o conhecimento para com seus filhos.

1. EMPATIA

Em tempos de pandemia do coronavírus, uma habilidade emocional que devemos exercitar ainda mais é a empatia.

Conforme o Dicionário Online de Português, um dos significados de empatia é: “Aptidão para se identificar com o outro”. Outra definição é: “Quando alguém, através de suas próprias especulações ou sensações, se coloca no lugar de outra pessoa, tentando entendê-la”. Dessa forma, reconhecer quando outra pessoa está triste ou preocupada, por exemplo, é uma atitude de empatia.

Certamente, devido ao surgimento da Covid-19, a mudança da rotina da sua casa mudou. Sendo assim, essa situação é uma boa oportunidade de estimular empatia nos filhos pequenos.

Isso pode ser feito mostrando a eles que ficar em casa é uma ação de empatia pelo próximo, dessa forma essa atitude evitará que mais pessoas sejam infectadas pelo vírus. Evitar estocar comida, comprar no supermercado apenas o necessário também é ter empatia, pois, assim, não faltará alimento para as outras pessoas.

Outra iniciativa que pode ser feita é estimular a criança a conversar por telefone ou vídeo chamada com um amiguinho. A proposta é estimular seu filho a saber como o amigo está nesse período em que todos devem ficar em casa.

Por meio de atitudes simples como essas, você pode mostrar aos filhos na prática o que é ter empatia. Assim, eles poderão replicar as ações e desenvolver essa habilidade, que também é uma grande virtude!

 

2. PACIÊNCIA

Um dos lemas que procuro passar para as pessoas é: o melhor ensino é o exemplo. E, se tem uma boa forma de ensinar as crianças pelo exemplo é tendo paciência com elas.

Devido ao isolamento social, muitas famílias estão passando mais tempo juntas. A mudança da rotina pode provocar reações nas crianças como agitação ou estresse devido ao confinamento. É nessa hora que você deve agir com paciência para contornar a situação.

Mostre para seu filho que é preciso ter paciência, por exemplo, para aguardar o momento em que poderão sair de casa. Explique que tudo tem seu tempo e que as coisas nem sempre acontecem do jeito e na hora que nós queremos.

Uma forma lúdica de exercitar também a paciência é por meio de jogos. Então, que tal separar momentos de lazer em família em que cada um terá sua hora de jogar?!

 

3. AUTOCONFIANÇA

Uma das habilidades essenciais para o desenvolvimento emocional é a autoconfiança. Para isso, os pais podem fortalecer a autoconfiança do filho reconhecendo as habilidades que ele tem.

Nesse sentido, a proposta é apontar as qualidades da criança, mostrando o potencial dela. Ao mesmo tempo, busque respeitar as limitações e evitar a rotular as falhas do seu filho. Dessa forma, você contribuirá para a evolução da autoconfiança dele.

Também estimule seu filho a reconhecer as próprias potencialidades que ele tem. Uma ideia é fazer juntos uma lista de coisas que ele já aprendeu e de virtudes que ele possui.

4. CONTROLE DOS IMPULSOS

Para o desenvolvimento emocional da criança, é fundamental dar instruções a elas sobre controle dos impulsos e respeito aos limites. Isso porque, na infância, o ser humano transita muito entre a impulsividade e a racionalidade. Assim, é natural que a criança queira agir somente conforme as próprias vontades.

Uma maneira de estimular o crescimento dos pequenos nesse sentido é evitar, por exemplo, dar a sobremesa antes do almoço. Correr para comer para ganhar logo o doce também não é válido. Por isso, ensine a criança que ela terá que esperar que todos finalizem a refeição para que a sobremesa seja servida.

A iniciativa é válida para outras situações em que perceber que a criança está tentando pular etapas para alcançar algo que deseja.

5. AUTOCONHECIMENTO

autoconhecimento é uma habilidade que o ser humano sempre terá que buscar o crescimento. Isso porque, ao longo da vida, podemos mudar bastante de gostos e opiniões. Portanto, desde criança, essa competência deve ser estimulada.

Isso pode ser feito incentivando o seu filho a perceber quais são as preferências dele. Alimentos que mais acha gostosos, brinquedos preferidos, matérias da escola que tem melhor desempenho… Tudo isso pode ser explorado para que a criança conheça a si mesma. Além disso, nesse diálogo, é interessante questioná-la sobre o motivo de ter aquele gosto.

Assim, seu filho terá mais chances de crescer agindo com mais segurança e respeitando seus próprios valores de vida e gostos.

 

6. CORAGEM

coragem é uma virtude praticada quando encaramos desafios e nossos próprios medos. Por isso, para esse momento, é importante ter cuidado para não demonstrar um medo exagerado do coronavírus.

Lembre o seu filho que o medo não evitará uma doença, mas, sim, as atitudes de prevenção. Mostre que sua família está tomando os cuidados devidos e, por isso, irão vencer juntos esse momento.

Outra maneira de ajudar a desenvolver a coragem é estimulando o seu filho a encarar o medo do escuro por exemplo. Para isso, uma dica é ir junto com ele em um cômodo da casa à noite com a luz apagada. Brinque com ele de apagar e acender a luz para mostrar que tudo continua igual.

diálogo também é essencial para desenvolver a coragem. Então, ouça seu filho sobre os medos que ele possui e fale sobre como pode ajudá-lo a encarar cada um deles.

É importante ainda deixar claro para eles que, em certa medida, o medo não é de todo mal. Afinal, existem casos em que o medo é importante para a segurança das crianças e para criar o senso de perigo em algumas situações.

Gostou do nosso post?

 

Eliane de Fatima Bruger Racoski

CRP: 08/12234

Fone: (45)99966-3648

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Eliane de Fatima Bruger Racoski
Eliane de Fatima Bruger Racoski
Sobre Eliane de Fatima Bruger Racoski Psicóloga com ênfase na psicanálise e Palestrante, Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional. Especialista em Psicologia do Trânsito. Cursando pós graduação em Arteterapia e Neuropsicologia. Possui experiência com atendimento clínico com ênfase na Psicanálise, na Ciretran na realização de Avaliação Psicológica de candidatos para obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Atuou como docente na pós-graduação em Psicopedagogia na Faculdade de E
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias