Terça, 19 de Outubro de 2021
17°

Pancada de chuva

Cafelândia - PR

Variedade Cultura

Itaipu organiza projeto com jovens de Foz do Iguaçu

O momento era de compartilhar experiências e desenvolver a criatividade por meio da música e da literatura.

14/08/2021 às 15h26 Atualizada em 14/08/2021 às 15h34
Por: Giovanna Trevelin Fonte: Itaipu Binacional
Compartilhe:
Galera reunida ao final da semana, com o livro em mãos. Fotos: Sara Cheida.
Galera reunida ao final da semana, com o livro em mãos. Fotos: Sara Cheida.

Na primeira semana de agosto, a Itaipu promoveu uma atividade diferente juntamente com os jovens de Foz do Iguaçu. Participaram os inscritos pelo município e aqueles que fazem parte do Programa de Iniciação e Incentivo ao Trabalho (PIIT) da Itaipu. O momento foi de compartilhar experiências e desenvolver a criatividade por meio da música e da literatura. O distanciamento social e a segurança sanitária, além do grupo foi limitado a 15 jovens por período, em dois turnos, fizeram parte dos protocolos de segurança contra a Covid-19.

O projeto APRENdiz POESIA, organizado pela Itaipu Binacional em parceria com o Grupo de Trabalho (GT) Aprendizagem, trouxe para Foz o rapper Renan Inquérito – que também é escritor, poeta, professor e doutor em Geografia – e o cantor Pop Black, produtor musical e psicólogo. O objetivo? Falar com os jovens usando a linguagem deles. “Não à toa, dentro da palavra aprendiz, temos a palavra ‘diz’, porque os jovens têm muito a dizer, e a arte é uma forma de fazer isso”, disse Inquérito.

A cada encontro, os jovens debatiam algum texto, música ou poesia e, ao final, produziam algo relacionado à conversa. “A temática central dos textos dos debates e das discussões é sempre a aprendizagem, os sonhos e o futuro”, explicou o rapper. Durante a semana, os jovens escreveram cartas para eles mesmos no futuro, elaboraram um “dicionário do coração”, criaram e gravaram um rap e um videoclipe, que será lançado em breve, e ainda produziram um livro artesanal com técnicas de serigrafia e cartonagem.

Passada a fase da timidez, o trabalho com os jovens fluiu. “Jovem é aquela coisa, fica no casulo. Mas se você falar, vem! Com cuidado e jeitinho, ele vem”, brincou Pop Black. “Porque o jovem só quer ser ouvido. E, quando ele tem uma oportunidade como essa, não podemos agir de um jeito ‘você vai fazer isso ou aquilo’. A gente só quer te ouvir. E ouvindo, o vínculo vem. É extraordinário”, garante. 

“Eu acredito que a arte pode mostrar um caminho, ela pode fazer com que os jovens encontrem alguma identidade, ou até mesmo ressignifiquem o caminho e a profissão que já escolheram. Muitos já são bem decididos do que querem, mas com um toque de arte, serão profissionais mais coloridos, talvez mais humanos, mais afetivos”, afirmou Inquérito.


Jovens aprenderam a se expressar por meio da música e da arte. 

 

É o caso de Nicholas Delvecchio Santos, de 16 anos, que quer fazer Medicina Veterinária. Segundo ele, a experiência o ajudou bastante, “porque a poesia e o rap ajudam muito a falar, a conversar mais com as pessoas, a interagir mais com elas. Isso vai me ajudar na minha carreira ou na minha vida”, disse.

Miriã Rocha Brizola, de 14 anos, nem gostava de rap, mas também aproveitou ao máximo a oportunidade. “Estou aprendendo bastante coisa. Acho que eles estão trazendo uma visão diferente sobre o rap, porque muitas vezes não é aquilo que eu estava acostumada a saber ouvir. É muito bom, muito construtivo para mim”, disse ela.

Fora da caixinha

A ideia do APRENdiz POESIA é inserir os adolescentes em um processo criativo, literário e musical, a partir de atividades que explorem a liberdade de expressão, considerando o universo do próprio jovem e suas visões. “Embora estejamos trabalhando com temáticas relacionadas à realidade deles, trabalhamos de uma forma um pouco diferente, um pouco menos, vamos dizer, burocrática. Eles podem extrapolar, sair um pouco da caixinha”, explicou Renan Inquérito.

“Essa experiência foi bastante importante, porque propiciou a eles demonstrar que são capazes e que são protagonistas de toda uma história”, avaliou o presidente da Guarda Mirim de Foz do Iguaçu, Hélio Cândido do Carmo. Tudo isso, por meio do diálogo e da arte.

“Acredito muito na arte. Acho que é pela arte que o ser humano mais consegue se expressar. A arte é a mola propulsora pra tirar a gente do anonimato de nós mesmos. Então a arte, para mim, é a mola propulsora que empurra esses jovens para o futuro”, finalizou Pop Black.


Trabalho rendeu música, videoclipe, textos e até livros.

 

Semana Nacional da Aprendizagem

A ação faz parte do calendário local da Semana Nacional da Aprendizagem, celebrada no mês de agosto. Durante todo o mês, diferentes organizações que atuam na profissionalização e inserção do adolescente no mundo do trabalho, na condição de aprendiz, promovem iniciativas diversas para marcar o momento.

Em Foz do Iguaçu, o GT Aprendizagem decidiu realizar um projeto que envolvesse os adolescentes atendidos por essas organizações. A Itaipu Binacional, por meio do Programa PIIT, compõe o grupo de trabalho. Além da contratação dos adolescentes aprendizes, a empresa participa e atua preponderantemente no apoio institucional e operacional às diversas iniciativas de promoção e garantia de direitos humanos de crianças e adolescentes na região.

De acordo com Ortiz, Coordenador do Programa PIIT, “O APRENdiz POESIA  resulta de uma ação coletiva, em rede. Nós acreditamos que o direito à profissionalização só pode ser garantido se pudermos garantir o desenvolvimento integral do adolescente, seu acesso à saúde, à educação, ao lazer, à cultura, à informação, à participação social e política.”

Confira abaixo a letra do rap criado pelos participantes do APRENdiz POESIA:

 

APRENdiz POESIA

 

É papo de futuro jovem apren-diz

Que vai atrás do seu sonho e vai buscar ser feliz

Diz que quer uma oportunidade

Diz eu tenho capacidade

 

Quero uma chance de mostrar minha visão

E ser a voz de uma nova geração

Eu vou atrás da melhora vou traçar meu caminho

E tem vários comigo eu não estou sozinho

 

Sou o futuro tenho que tá presente

Juventude de atitude adolescente

Sente que também pode mudar

Sente nada pode parar

 

Vai na fé e não deixa ninguém te diminuir

Vai na fé e acredita que “cê” vai conseguir

Vai na fé advogado, médico e engenheiro

Vai na fé não deixa o sonho morrer no travesseiro

 

Eu faço acontecer eu planto pra colher

E o meu futuro

Futuro

 

Primeiro emprego, primeira profissão

Primeira missão, pra encarar o mundão

Diploma formatura, faculdade

É tanta pressão nessa idade

 

Vai lá e faz o que tiver ao seu alcance

Nem todo mundo vai ter a mesma chance

Infelizmente vários iguais a nós

Não tiveram a mesma voz

 

A vida é professora todo dia

E eu sou um aprendiz poesia

O tempo não vai parar, nem se o relógio quebrar

Independente de despertador se tem que acordar

 

Vou buscar e a minha hora um dia vai chegar

Vou buscar tenho atitude pra poder conquistar

Vou buscar e o meu sonho eu vou realizar

Vou buscar eu vou lutar e nada vai me parar

 

Eu faço acontecer eu planto pra colher

E o meu futuro

Futuro

 

 

Siga o Jornal Integração nas redes sociais e fique bem informado:

Facebook: https://www.facebook.com/jornalintegracaopr/
Instagram: https://www.instagram.com/jornalintegracaopr/

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias