Sábado, 16 de Outubro de 2021
18°

Pancada de chuva

Cafelândia - PR

Geral Espiritualidade

Particularidades da Sensatez

Vivamos sensatamente

21/08/2021 às 09h00 Atualizada em 22/08/2021 às 08h09
Por: Roberto C. P. Junior Fonte: O Dia Sem Amanhã
Compartilhe:
Particularidades da Sensatez

Sensatez não tem nada a ver com apatia, bem ao contrário. O sensato é irmanado com a coragem, enquanto que o apático é medroso. O sensato vive exclusivamente de acordo com suas próprias convicções, ao passo que o apático se deixa moldar pelas dos outros. O sensato é firme, o apático é volúvel. O sensato é irredutível em relação ao conteúdo e flexível quanto à forma, enquanto que com o apático ocorre o inverso: é maleável em relação ao conteúdo e rígido para com a forma.

Uma pessoa sensata sempre terá muito cuidado com o que diz. Nunca falará do que não entende e jamais entrará em discussões para persuadir alguém do que quer que seja. Ela sabe que se a sua palavra não for capaz de despertar confiança no próximo, a ponto de este reavaliar suas concepções, então somente a vivência trazida pela Lei da Reciprocidade poderá fazê-lo. Por isso, em tais casos a pessoa sensata se cala, aguarda em silêncio. Ela espera, mas não permanece inativa, pois espiritualmente continua em movimento. Seus pensamentos e intuições estarão sempre sintonizados no sentido de auxiliar e amparar seu semelhante no caminho do reconhecimento do erro, sem prepotência nem arrogância. Sim, pois a humildade também é uma característica da sensatez.

De fato, só o insensato pode ser vaidoso. Pois quem reconhece, nem que seja parcialmente, qual o verdadeiro papel que exerce na imensurável obra da Criação, este perde de imediato qualquer resquício de vaidade. E fica para sempre curado disso. Torna-se naturalmente humilde, e com isso recebe a chave para a liberdade de seu espírito.

O sensato sabe que nada, absolutamente nada, do que é empreendido em desacordo com as leis universais tem possibilidades de êxito. Dura um certo tempo, maior ou menor, e depois desmorona. Em razão disso, procurará conhecer a fundo essas leis e se esforçará em adaptar-se integralmente a elas, para que suas atividades possam dar frutos em abundância, de modo perene, para proveito e alegria do próximo. Tudo sem cálculos interesseiros, sem esperar reconhecimentos ou admiração. Age assim apenas porque é a maneira correta de atuar, a mais sensata.

O sensato não fica preso a erros do passado e nem se entrega a devaneios do futuro, mas vive integralmente no presente, pois sabe que só assim poderá evoluir espiritualmente. Sobre essa particularidade, diz Abdruschin em sua obra Na Luz da Verdade – a Mensagem do Graal:

“Quem, pois, não quiser permanecer durante a metade de sua existência num degrau, e voltar repetidamente para ele, esse que se obrigue a pertencer sempre inteiramente ao presente, a compreendê-lo acertadamente, a vivenciá-lo, para que tenha proveito espiritual disso.

Com isso também não lhe faltará lucro terrenal, pois sua primeira vantagem disso será nada esperar dos seres humanos e da época, senão aquilo que realmente lhe podem dar! Assim, nunca se decepcionará e permanecerá em harmonia com o ambiente.”

É a mais pura sensatez não esperar nada dos seres humanos nem dessa nossa época. A pessoa se livra assim, bem naturalmente, de muitas decepções e desilusões que teriam de atingi-la se, insensatamente, continuasse a esperar algo que os seus semelhantes simplesmente não lhe podem dar.

Por fim, o sentimento de gratidão. Ainda há, felizmente, várias pessoas que sentem legítima gratidão pela dádiva da existência e pelos numerosos auxílios que recebem durante sua jornada. Mas dessas, só as sensatas não se comprazem com esse sentimento, julgando já terem feito muito apenas por se sentirem agradecidas. Conhecedoras que são da Lei do Equilíbrio, elas procurarão retribuir de algum modo as bênçãos recebidas através de alegre ação, e não apenas com algumas palavras vazias, desprovidas de intuição.

Uma vida sensata é, pois, uma vida adaptada às normas do bem viver, as quais se manifestam nas leis que sustentam a Criação, geradas pela vontade do Doador de toda a vida.

Roberto C. P. Junior

(Conheça as obras publicadas pela Ordem do Graal na Terra.)

Este post em áudio.

______________________________

Confira os posts desta coluna já convertidos em áudio acessando as plataformas a seguir:

→ YouTube: bit.ly/YT-ODSA

→ SoundCloud: bit.ly/Sound-ODSA

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
O Dia Sem Amanhã
O Dia Sem Amanhã
Sobre Roberto C. P. Junior é espiritualista, mestre em ciências, membro da Academia de Letras e Artes de Portugal e autor de seis obras, dentre as quais: O Dia Sem Amanhã, O Filho do Homem na Terra e Jesus Ensina as Leis da Criação, todas publicadas pela Ordem do Graal na Terra, da qual é membro –> bit.ly/livros-OGT. É responsável pela página "O Dia Sem Amanhã" no Facebook, pelo blog odsa.com.br e canal bit.ly/ODSA-YT.
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias