Terça, 28 de Setembro de 2021
36°

Poucas nuvens

Cafelândia - PR

Saúde Políticas Públicas

Com pobreza menstrual em pauta, a Câmara de Curitiba arrecada sete mil itens de higiene

Coletivo Igualdade Menstrual recebeu as doações no início do mês. Estas serão destinadas a pessoas em vulnerabilidade.

11/09/2021 às 14h57 Atualizada em 11/09/2021 às 15h07
Por: Giovanna Trevelin Fonte: Diretoria da Assessoria de Comunicação
Compartilhe:
Foto: Câmara Municipal de Curitiba
Foto: Câmara Municipal de Curitiba

No início do mês de setembro, a Câmara Municipal de Curitiba (CMC) repassou ao coletivo Igualdade Menstrual 7.404 itens de higiene. Os produtos foram arrecadados nas portarias do Legislativo, entre meados de junho e o início de setembro. A CMC aderiu à campanha por meio da Procuradoria da Mulher e a ação mobilizou, além da população em geral, os servidores da Casa, organizados por meio do Sindicato e da Associação dos Servidores da Câmara de Curitiba.

 

O presidente da Casa, vereador Tico Kuzma (Pros), agradeceu ao sindicato e à associação, por terem disseminado a ideia da campanha entre os servidores, bem como a todos que colaboraram com doações.

 

“Um agradecimento especial ao coletivo, que acreditou na Câmara para ser parceira nesta ação tão importante, por ter um olhar para as meninas e mulheres em vulnerabilidade social”.

 

Ao todo, foram entregues para Adriana Bukowski, criadora do coletivo Igualdade Menstrual,  6.943 absorventes, 413 sabonetes, 30 calcinhas, 10 pastas de dente e 8 coletores menstruais. Adriana explicou que as doações serão repassadas a escolas públicas, ONGs, penitenciárias e pessoas em situação de rua.

“Parece pouco, mas faz muita diferença para quem precisa.”

“Foi um movimento orgânico e que contou com uma grande participação masculina”, observou Maria Leticia (PV), que é Procuradora da Mulher da Câmara de Curitiba. Também reforçou, em agosto, o pedido de apoio à campanha ao explicar o conceito de pobreza menstrual.

“A falta de condição financeira para comprar material de higiene, como absorvente, junto à falta de estrutura mínima sanitária, como água e esgoto, constituem o que a gente chama de pobreza menstrual. A pobreza menstrual revelou a enorme desigualdade social, racial e de renda que vivemos no nosso país”.

Maria Leticia aproveitou para lembrar que é autora de projeto de lei que pretende criar a Semana de Conscientização do Ciclo Menstrual nas escolas municipais (005.00063.2021). As atividades informativas seriam voltadas a estudantes, pais, responsáveis e professores. A ideia é que a data seja instituída na quarta semana do mês de maio, para que as ações coincidam com o Dia Internacional da Menstruação, celebrado em 28 de maio. A matéria está apta para ser votada em plenário. O vereador Mauro Bobato (Pode) também participou da atividade e cumprimentou o coletivo pela iniciativa e por trazer luz ao tema, para que seja melhor discutido pela sociedade. 

 

Parceria

O presidente do Sindicato dos Servidores da Câmara Municipal de Curitiba (SindiCâmara), Ubiratan da Silva, destacou que a Casa não fechou durante a pandemia e que a crise sanitária aproximou os vereadores e servidores das demandas da população.

“Tivemos uma boa adesão à campanha. É um assunto que era tabu, mas hoje há mais conversa sobre ele, pois é uma questão de saúde pública”, completou o presidente do SindiCâmara.

Hamilton Junior, representante da Associação dos Servidores da Câmara Municipal de Curitiba (ASCMC), também exaltou a participação dos servidores e lembrou que está em andamento a campanha Abrace Curitiba, que recebe doações para a montagem de cestas básicas, com alimentos e produtos de limpeza e higiene. Os donativos são entregues à Fundação de Ação Social (FAS), que os direciona para famíliasPobreza menstrual 5 cadastradas nos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS). A campanha, que já entregou 300 cestas básicas, foi idealizada e realizada pelos funcionários do Legislativo. Qualquer pessoa pode doar a quantia que desejar. Basta fazer um PIX para a chave CNPJ 17059586000162 e enviar o comprovante para o e-mail [email protected]gmail.com.

 

Projeto e audiência pública

Outra proposta que tramita na Casa sobre o assunto é de Dalton Borba (PDT), para instituir na cidade a Política de Combate e Erradicação da Pobreza Menstrual (005.00140.2021). A iniciativa complementa indicação ao Executivo para que a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) forneça absorventes higiênicos a adolescentes e mulheres em situação de vulnerabilidade social, acatada em plenário em abril deste ano.

Também por iniciativa do parlamentar, a CMC promove audiência pública no próximo dia 16, às 14h30, sobre o combate à pobreza menstrual (407.00026.2021).

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias