Terça, 28 de Setembro de 2021
36°

Poucas nuvens

Cafelândia - PR

Agronews Energia

Copacol incentiva cooperados na geração da própria energia elétrica

A Copacol busca incentivar esse tipo de geração dentro da porteira, seja através do biogás, gerado com dejetos de animais, ou da energia solar.

14/09/2021 às 16h38 Atualizada em 14/09/2021 às 16h47
Por: Giovanna Trevelin Fonte: Copacol
Compartilhe:
foto: Copacol
foto: Copacol

A estiagem, que esteve muito presente nos últimos tempos, provocou sucessivos aumentos na tarifa de energia elétrica. Juntamente a isso, a perspectiva do governo do Paraná de encerrar a Tarifa Rural Noturna no final de 2022 tem levado muitos produtores rurais da região a buscar formas de produzir a própria energia.

Nesse sentido, a Copacol busca incentivar esse tipo de geração dentro da porteira, seja através do biogás, gerado com dejetos de animais, ou da energia solar.

A iniciativa pretende fornecer autonomia às propriedades, para que possam continuar produzindo sem se preocupar com falhas no abastecimento, nem aumentos desproporcionais na tarifa de energia.

Essas são as alternativas existentes para que o produtor possa investir na própria geração e as ações da Copacol para defender os interesses do seu cooperado no que tange a sustentabilidade energética.

O gerente da Unidade da Copacol de Jesuítas, Alisson José de Oliveira, diz que, diante da expectativa do governo do estado de extinguir a tarifa noturna, o próprio governo está disponibilizando linhas de financiamento com juros mais acessíveis e em alguns casos juro zero para que o produtor rural possa gerar a sua própria energia, diminuindo os custos de produção de suas atividades. O prazo para a adesão vai até dezembro de 2022. Alisson ainda explica como a Copacol atua em apoio ao cooperado.

“A Copacol apoia o produtor na elaboração do projeto de financiamento. O primeiro passo é o orçamento do fornecedor, em seguida ele procura a Copacol que irá fornecer toda a documentação necessária. De posse desses documentos, o produtor deverá se dirigir até o IDR (Emater), onde será feita a pré-proposta. A mesma deverá ser encaminhada ao agente financeiro, que após análise retorna ao IDR para o projeto de viabilidade.”

Segundo ele, são muitas as vantagens: desde a economia, o que reverte em um menor custo de produção, até a produção uma energia limpa e renovável. Ele reforça que com o término do incentivo do programa Luz Noturna, o sistema de energia fotovoltaica será uma grande alternativa para a produção no campo.

“Estamos à disposição dos produtores que têm interesse. Vamos oferecer todas as informações necessárias para que o cooperado possa se sentir seguro para produzir a sua própria energia, seja através do Biogás ou solar.”

Para mais informações de como funciona o processo para implantação da energia fotovoltaica na propriedade, a Copacol disponibiliza em seu site www.copacol.com.br e no Aplicativo Cooperado Copacol o passo a passo de como aderir aos sistema de energia renovável.

 

 

 

Siga o Jornal Integração nas redes sociais e fique bem informado:
Facebook: https://www.facebook.com/jornalintegracaopr/
Instagram: https://www.instagram.com/jornalintegracaopr/

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias