Terça, 19 de Outubro de 2021
17°

Pancada de chuva

Cafelândia - PR

Geral Crônica

Crônica: O destino depende do lado certo

Por Rodrigo Alves de Carvalho

20/09/2021 às 07h45
Por: Rodrigo Alves de Carvalho
Compartilhe:
Crônica: O destino depende do lado certo

No banheiro da casa, Geovano, sentado no vaso sanitário tem uma conversa muito importante com Isadora: 

— Cada acontecimento, seja ele o menor e mais insignificante que possa parecer, como o arrastar de uma folhinha ao vento, ou mesmo um acontecimento grandioso e extraordinário como a explosão de uma estrela gigante fazem parte de uma ordem universal.

Isadora, encostada na porta observa seu marido com aquela expressão séria que lhe é peculiar ao explicar o funcionamento do universo.

— Até mesmo no caos, em um distante planeta em ebulição, ou na tempestade mortal em uma ilha no pacífico ou um pequeno cervo sendo cassado e devorado por um leão fazem parte dessa ordem. Se alguma coisa sair fora dessa sincronia, os resultados podem ser catastróficos.

Isadora sabia que Geovano era bastante perfeccionista e sistemático antes mesmo de se casarem. Não à toa, até a aliança que ofereceu ao pedir sua mão, não foi tão surpresa assim, já que Geovano pediu para medir a circunferência de seu dedo antes da compra, para que a aliança ficasse perfeita, nem muito apertada, nem muito frouxa.

— Imagina só Isadora, se no nada, o planeta Terra parasse de girar? Seria a extinção dos seres humanos!

A mulher realmente não imaginava isso. Estava mesmo era irritada e ao mesmo tempo preocupada por seu marido estar naquela situação.

— Tudo nesse universo acontece pela causa e consequência, Isadora. Uma coisa leva a outra e quando alteramos essa lógica, coisas terríveis podem surgir!

Pobre Geovano. Teve um dia miserável naquela sexta-feira. No caminho do trabalho pela manhã, o carro havia quebrado numa das ruas mais movimentadas da cidade, a chuva chegou do nada e encharcou o rapaz, depois seu chefe chamou sua atenção pela primeira vez desde que fora contratado na empresa há dois anos e na volta para casa, pisou em coco de cachorro.

— Sabe Isadora, temos que ser responsáveis pelos nossos atos e suportar as consequências daquilo que escolhemos fazer em nossas vidas. Olha só eu aqui. Tive um dos piores dias de minha vida. Além de tudo o que passei, devo ter comido um salgado estragado na hora do almoço. Porém, agora com essa diarreia maldita, me dei conta das circunstâncias de minhas desgraças. A dissincronia que foi a causa de minhas lamúrias.

Isadora imaginava a falta de uma manutenção do carro, um erro de cálculo no trabalho ou o molho vencido do boteco. Mas o motivo, na verdade era por uma questão de lado.

— Isadora do céu! Hoje de manhã ao trocar o papel higiênico, coloquei suas folhas saindo por baixo do rolo e não por cima, como sempre fiz a vida inteira!

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Crônicas
Crônicas
Sobre Rodrigo Alves de Carvalho nasceu em Jacutinga (MG). Jornalista, escritor e poeta possui diversos prêmios literários em vários estados e participação em importantes coletâneas de poesia, contos e crônicas. Em 2018 lançou seu primeiro livro individual intitulado “Contos Colhidos” pela editora Clube de Autores. Desde julho de 2019 vem publicando suas crônicas no Jornal Integração. E-mail: [email protected]
Anúncio
Ele1 - Criar site de notícias