Terça, 30 de Novembro de 2021
29°

Tempo aberto

Cafelândia - PR

Agronews Cooperativismo

Produtores já semearam 92% da soja na região da Copacol

De acordo com o engenheiro agrônomo João Mauricio Roy, pesquisador do CPA (Centro de Pesquisa Agrícola), o expressivo volume de chuva foi muito importante para se estabelecer a soja de forma adequada.

25/10/2021 às 16h11 Atualizada em 25/10/2021 às 16h24
Por: Giovanna Trevelin Fonte: Copacol
Compartilhe:
Na Unidade de Palmitolândia 100% da área já foi semeada e 99% em Bom Principio município de Toledo. Foto: Copacol
Na Unidade de Palmitolândia 100% da área já foi semeada e 99% em Bom Principio município de Toledo. Foto: Copacol

O grande volume de chuva registrado no último sábado (23) fez com que os produtores aproveitassem ainda mais a volta do sol neste início de semana. Com o objetivo de concluir a semeadura da soja na área de atuação da Copacol, aproximadamente 92% da área a ser cultivada nesta safra foi semeada até a última sexta-feira (22). Na Unidade de Palmitolândia 100% da área já foi semeada, e 99% em Bom Principio, município de Toledo.

De acordo com o engenheiro agrônomo João Mauricio Roy, pesquisador do CPA (Centro de Pesquisa Agrícola), o expressivo volume de chuva foi muito importante para se estabelecer a soja de forma adequada. Segundo ele a expectativa é que, com a volta do sol nesta segunda-feira (25), o plantio da soja possa ser concluído ainda no mês de outubro.

“Um cenário muito diferente do ano anterior, no qual houve um atraso na semeadura devido à estiagem. Porém, se comparado às médias históricas, ainda estamos um pouquinho atrasados, mas mesmo assim numa condição satisfatória”, explica João Mauricio.


CONTROLE DE PLANTAS DANINHAS

Se por um lado os expressivos volumes de chuva favorecem a emergência da soja, eles contribuem também para o aparecimento de plantas daninhas. Diante disso os produtores devem ficar atentos aos manejos necessários.

“Existem plantas de difícil controle, como trapoeraba, corda de viola e leiteiro, que devem ser controladas com glifosato somente nos estágios iniciais, pois já temos algumas áreas que estão sofrendo a interferência negativa devido a essas plantas”, orienta o pesquisador.

Segundo ele, uma outra planta que o produtor deve ficar atento é o milho voluntário, planta de rápido crescimento, que inclusive interfere no desenvolvimento da soja. Tendo em vista estes fatores, é importante que todas as áreas sejam vistoriadas.

“Sempre que tiverem dúvidas nesses manejos os produtores devem entrar em contato coma a equipe técnica”, relata o engenheiro agrônomo.


SEMEADURA

O plantio ainda não foi realizado em poucas áreas. Os produtores devem observar se houve emergência de planta daninha, pois é muito importante fazer a semeadura sem a presença destas plantas.

“Às vezes é necessário fazer mais uma aplicação e ao mesmo tempo olhar as condições de semeadura, realizando o plantio com calma, até porque as previsões apontam que teremos uma semana sem precipitações, e o ideal é estabelecer a semente da melhor forma possível. Uma boa produtividade está atrelada a uma boa semeadura”, conclui João Mauricio.

 

Siga o Jornal Integração nas redes sociais e fique bem informado:
Facebook: https://www.facebook.com/jornalintegracaopr/
Instagram: https://www.instagram.com/jornalintegracaopr/
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias